terça-feira, 5 de maio de 2015

Aprendendo a soletrar





Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. - 1 João 3.16

No capítulo 13 da primeira carta aos coríntios Paulo nos diz que não importa o que fazemos, cremos ou falamos: sem amor estamos falidos. Viver consiste em amar. Deus nos criou para nos relacionarmos com Ele e com as outras pessoas, relacionamentos baseados no amor.

Relacionamentos demandam tempo e esforço. O tempo é precioso, é uma dádiva, é vida. Quando dedicamos tempo a uma pessoa estamos dedicando uma parte de nossa vida a ela. Por isso, amar é dar. Dar o quê? Diamantes, chocolates, flores, etc? Não. Estou falando de dar a si mesmo, dar sua vida, seu tempo.

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu [...]" (João 3.16). Podemos dar sem amar mas não podemos amar sem dar. E como isso é difícil..."amar significa renunciar - abdicar de minhas preferências, conforto, objetivos, segurança, dinheiro, energia ou tempo para benefício de outra pessoa."

O maior presente que posso dar a minha namorada sou eu mesmo. Meus olhos, ouvidos, tempo, atenção, presença e interesse é isso o que ela quer. Quando estou com ela perco a noção do tempo e do espaço, é tão bom.

O tempo que eu dedico a alguma coisa ou pessoa diz o valor que essa coisa ou pessoa tem para mim. No que eu tenho dedicado mais tempo? Visssh muitas coisas eternamente inúteis. Muito tempo perdido que não posso mais recuperar. Mas posso começar agora a não mais perdê-lo e esse é o melhor momento para começar a amar as outras pessoas, a dar a mim mesmo, a aprender a soletrar a palavra amor: "T-E-M-P-O".



-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Fiz essa postagem após ler o capítulo 16 do livro "Uma vida com propósitos", de Rick Warren.


quarta-feira, 15 de abril de 2015

Livro livre para ser lido





Sento em minha cama e olho para a estante de madeira onde guardo meus livros. Muitos livros. Livros que comprei e livros que ganhei. Livros que já li, livros que quero reler, livros que ainda vou ler e livros que talvez eu nunca leia.


Levanto-me, olho todos eles de perto, passo meus dedos por eles. Pego uns dois, abro, cheiro, contemplo. Eles querem ser lidos, foram feitos para isso. Se não forem lidos jamais cumprirão o seu propósito. Penso um pouco sobre isso e me espanto. Eu estou prendendo eles aqui, estou sendo egoísta, tornaram-se objetos de decoração. 





Alguns anos atrás eu conheci o blog Luz de Luma e lá descobri o  BookCrossingBlogueiro. Depois disso comecei a pensar um pouco sobre o quanto eu gosto de ler, sobre o quanto gosto de livros. Pensei também no quanto eu sou apegado a eles. Pensei em compartilhar com o meu próximo os livros e as leituras que tanto gosto. Decidi desapegar e libertar os livros que tenho. Isso também é uma atitude de amor. Compartilhar com o outro algo bom. Um livro e/ou uma leitura que deixa de ser meu e passa a ser nosso. 




Que tal libertar um livro? Que tal compartilhar? Para participar basta ter um livro que queira libertá-lo.

Para saber mais:







quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Lembrar, agradecer e renovar







Já faz algum tempo que não publico nada neste blogue e agora vejo que eu precisava
fazer isso, precisava desse algum tempo.

Em julho fiz vestibular, logo em seguida comecei a trabalhar. Em meados de agosto
ou setembro comecei a trabalhar e estudar. Isso é muito difícil. Me cansei muito e
algumas vezes me esqueci que em Deus posso descansar.

Família, namorada, igreja, amigos, banda, trabalho, faculdade, blogue...é difícil
conciliar tudo isso, é difícil continuar correndo no mesmo ritmo, o mundo a minha
volta começa a crescer, eu esbarro em mim mesmo, deixo meus óculos caírem e
perco o foco, vejo apenas borrões, me sinto perdido.

Enquanto escrevo esse texto eu me lembro da multidão de coisas que aconteceram
nos últimos seis meses. Lembrar é o mesmo que olhar para trás? Isso eu não sei dizer mas quando lembro das coisas que ficaram para trás cresce em mim um sentimento de gratidão. É bom lembrar. Aprendi muito. Reaprendi. Conheci pessoas que não conhecia e pessoas que já conhecia. Tive que começar de novo. Não um recomeço como aqueles de vídeo game em que voltamos para o início da fase ou do jogo. Eu não voltei, segui, para o infinito e além, fui renovado.

Muita coisa mudou e continua mudando. A cada manhã as minhas forças, minha alegria, minha esperança, minha mente, tudo é novo e se renova em Yahweh (2 Coríntios 4.16-18).

No último dia do ano, já no fim do expediente (trabalhei meio período \o/), eu e meus
colegas de trabalho estávamos sentados em volta de uma mesa conversando quando o
meu chefe chegou. Ele falou algumas palavras interessantes nas quais ainda estou
refletindo. Palavras tiradas do livro que mais amo.


E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa
mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. - Romanos 12:2

É preciso haver mudança em nossas vidas para que esse ano seja realmente um novo
ano. O que era podre hoje é novo, o que era fraco hoje é forte, caso contrário, o ano continua o mesmo.

Aqui embaixo está a música "Tudo é Novo" da Salzband. Escuta aí ;)